Calendar

mar
13
ter
O ESPELHO @Teatro Polytheama
mar 13@09:30

INÉDITA EM JUNDIAÍ – LEITURA OBRIGATÓRIA UNICAMP 2019

Rick Von Dentz, diretor das ótimas peças Memórias de Um Sargento de Milícias e Memórias Póstuma de Brás Cubas, traz ao Teatro Polytheama sua mais nova adaptação literária para os palcos do teatro: O ESPELHO. A peça é baseada no livro de Machado de Assis, leitura obrigatória no vestibular UNICAMP 2019.

O conto “O Espelho”, é um dos mais conhecidos de Machado Assis, um texto que impressiona pela força impactante contida em tão poucas páginas, revelando a vulnerabilidade do ser humano. No início da história vemos uma bela imagem de terra e céu, sugerindo uma analogia com a natureza do ser humano. A terra, ou cidade, representando o externo, visível e passageiro. O céu, o interno, fonte de luz, o eu profundo. O externo como algo circunstancial, o interno constituindo-se dos valores que estão impregnados em nós e que se manifestam em nossas ações.

Release: Jacobina, é um homem entre 45 a 50 anos, que aos 25 anos foi nomeado “Alferes” da guarda, um cargo militar que lhe garantiu uma significativa mudança de status.  Sua família passou a elogiá-lo e a se orgulhar dele, que passou a ser o “Sr. Alferes”. Desta forma conseguiu, apesar de origem  humilde a subir na vida, devido ao cargo. Certo dia, ele já com seus 45 anos, estava entre amigos debatendo sobre a alma humana, o universo e outros assuntos. Quando questionado, ele Jacobina, da sua opinião. Ele pretendia defender sua teoria de que cada pessoa possui “duas almas”, uma interior e outra exterior, e para convence-elos, iria contar um episodio de sua vida.

Certo dia,  tia Marcolina, que morava em um sitio, por conta do seu status de “Sr Alferes” , convidou-o, para passar uns tempos por la. Chegando no sitio, foi tratado com muitos mimos, regalias, pois era o “Sr Alferes”. Sua tia para agradá-lo ainda mais, tirou da sala, um grande espelho, proveniente da família Real Portuguesa, meio desgastado, mas muito bom e o colocou em seu quarto! Tudo isso para que ele pudesse se ver melhor quando estivesse vestindo a farda. Algum tempo depois de chegar ao sítio, tia Marcolina saiu de viagem. Aproveitando a ausência de sua tia e dos escravos que fugiram, Jacobina viu-se sozinho no sítio e ira através do Espelho enfrentar a solidão e buscar  encontrar sua verdadeira “alma exterior”,  porque percebeu que até então o que via no Espelho, era sua imagem corrompida e difusa, fruto dos conceitos que os outros criaram sobre dele.

O diretor: Ator, diretor e escritor, Rick Von Dentz já escreveu e dirigiu diversas peças que foram sucesso de público e crítica no circuito estudantil do estado. Além de “Memórias de um sargento de Milícias”, Rick é autor e diretor de outros sucessos como “Memórias póstumas de Brás Cubás”, “Dom Casmurro”, “As cidades e a Serra”, “O Primo Basílio” entre outras, além de ter escrito várias peças infantis.

Ficha Técnica:

  • Adaptação e direção: Rick Von Dentz
  • Duração: 70 minutos
  • Censura: Livre

Informações:

  • Data: 13/Março
  • Local: Teatro Polytheama (Jundiaí-SP)
  • Horários: 9h30 e 20h00
  • Valor do ingresso: Inteira: R$ 50,00 | Meia entrada: R$ 25,00 | PACOTE ESCOLAR: R$ 18,00 – somente para grupos com  reserva antecipada com a produção  11 98603-7262 e 11 99868-1371
“QUANDO O RIO SECOU, O JABUTI CHOROU ” – Meio ambiente @Teatro Polytheama
mar 13@14:30

MEIO AMBIENTE É TEMA DE PEÇA INFANTIL NO POLYTHEAMA

Trazendo descontração, cenário e figurino coloridos e muita diversão, a peça infantil “Quando o rio secou, o Jaboti chorou” utiliza a arte para levar educação ambiental para crianças. A peça é  um espetáculo da Cia dos três / WZBrasil e fala sobre a escassez de água doce no planeta, sobre fauna e flora brasileira, sobre o meio ambiente e o papel do homem como agente transformador.

Sipnose: Um velho Jaboti, cientista e muito sábio, que mora a beira de um riacho, todos os dias retira objetos que encontra as margens do rio. Com esses objetos o Jaboti faz experimentos para descobrir por que em determinadas  “estações do ano” chove mais e outras chovem menos. Até que de repente ele percebe que a água do riacho começa a diminuir dia após dia. De repente, em uma manhã quando acorda e vai observar as águas do riacho, leva um grande susto: RIO SUMIU, RIO SECOU. Ele fica muito triste e até chora… Após passar aquela tristeza profunda ele chama seu amigo Tamanta e juntos vão tentar descobrir o que aconteceu com a água do Rio.

Proposta: Através desta fabula, “Quando o rio secou, o Jaboti chorou” e da sensibilidade dos personagens, vamos abordar temas como sustentabilidade, responsabilidade social, o ser humano no meio ambiente e o que cada um pode fazer para ter um mundo melhor e uma melhor qualidade de vida.

Temas abordados: Ecologia, preservação da natureza, reciclagem, desenvolvimento sustentável, consumo racional da água, poluição ambienta, efeito estufa, aquecimento global, desmatamento, animais em extinção ecossistemas, e etc

 

Ficha técnica: 

  • Direção: Rick Von Dentz
  • Produção: Luciana Engel
  • Músicas: Gustavo Ferreira
  • Figurinos: Carla H. M. Nova
  • Cenário: Osnir Santana
  • Elenco: Hebert Freitas, Ivan Vilabella e Binho de Oliveira

Informações:

  • Data: 1​3/03/2018
  • Horário: 14h30
  • Local: Teatro Polytheama
  • Valor do ingresso: Inteira: R$ 40,00 | Meia entrada: R$ 20,00 | PACOTE ESCOLAR: R$ 15,00 – somente para grupos com  reserva antecipada com a produção:  11 98603-7262 e 11 99868-1371
  • Faixa etária indicada: 04 a 12 anos

Escolas, professores e alunos: Garantam já seus ingressos pelo valor promocional do pacote escolar, fazendo reserva antecipada com a produção. Ingressos limitados a disponibilidade do teatro.

 

O ESPELHO @Teatro Polytheama
mar 13@20:00

INÉDITA EM JUNDIAÍ – LEITURA OBRIGATÓRIA UNICAMP 2019

 

Obra de Machado de Assis que relembra a vida do personagem Brás Cubas será apresentada no Espaço Kahal em Jundiaí no dia 22 de março

Rick Von Dentz, diretor das ótimas peças Memórias de Um Sargento de Milícias e Memórias Póstuma de Brás Cubas, traz ao Teatro Polytheama sua mais nova adaptação literária para os palcos do teatro: O ESPELHO. A peça é baseada no livro de Machado de Assis, leitura obrigatória no vestibular UNICAMP 2019.

O conto “O Espelho”, é um dos mais conhecidos de Machado Assis, um texto que impressiona pela força impactante contida em tão poucas páginas, revelando a vulnerabilidade do ser humano. No início da história vemos uma bela imagem de terra e céu, sugerindo uma analogia com a natureza do ser humano. A terra, ou cidade, representando o externo, visível e passageiro. O céu, o interno, fonte de luz, o eu profundo. O externo como algo circunstancial, o interno constituindo-se dos valores que estão impregnados em nós e que se manifestam em nossas ações.

Release: Jacobina, é um homem entre 45 a 50 anos, que aos 25 anos foi nomeado “Alferes” da guarda, um cargo militar que lhe garantiu uma significativa mudança de status.  Sua família passou a elogiá-lo e a se orgulhar dele, que passou a ser o “Sr. Alferes”. Desta forma conseguiu, apesar de origem  humilde a subir na vida, devido ao cargo. Certo dia, ele já com seus 45 anos, estava entre amigos debatendo sobre a alma humana, o universo e outros assuntos. Quando questionado, ele Jacobina, da sua opinião. Ele pretendia defender sua teoria de que cada pessoa possui “duas almas”, uma interior e outra exterior, e para convence-elos, iria contar um episodio de sua vida.

Certo dia,  tia Marcolina, que morava em um sitio, por conta do seu status de “Sr Alferes” , convidou-o, para passar uns tempos por la. Chegando no sitio, foi tratado com muitos mimos, regalias, pois era o “Sr Alferes”. Sua tia para agradá-lo ainda mais, tirou da sala, um grande espelho, proveniente da família Real Portuguesa, meio desgastado, mas muito bom e o colocou em seu quarto! Tudo isso para que ele pudesse se ver melhor quando estivesse vestindo a farda. Algum tempo depois de chegar ao sítio, tia Marcolina saiu de viagem. Aproveitando a ausência de sua tia e dos escravos que fugiram, Jacobina viu-se sozinho no sítio e ira através do Espelho enfrentar a solidão e buscar  encontrar sua verdadeira “alma exterior”,  porque percebeu que até então o que via no Espelho, era sua imagem corrompida e difusa, fruto dos conceitos que os outros criaram sobre dele.

O diretor: Ator, diretor e escritor, Rick Von Dentz já escreveu e dirigiu diversas peças que foram sucesso de público e crítica no circuito estudantil do estado. Além de “Memórias de um sargento de Milícias”, Rick é autor e diretor de outros sucessos como “Memórias póstumas de Brás Cubás”, “Dom Casmurro”, “As cidades e a Serra”, “O Primo Basílio” entre outras, além de ter escrito várias peças infantis.

Ficha Técnica:

  • Adaptação e direção: Rick Von Dentz
  • Duração: 70 minutos
  • Censura: Livre

Informações:

  • Data: 13/Março
  • Local: Teatro Polytheama (Jundiaí-SP)
  • Horários: 9h30 e 20h00
  • Valor do ingresso: Inteira: R$ 50,00 | Meia entrada: R$ 25,00 | PACOTE ESCOLAR: R$ 18,00 – somente para grupos com reserva antecipada com a produção  11 98603-7262 e 11 99868-1371
mar
22
qui
MEMÓRIAS PÓSTUMAS DE BRÁS CUBAS @Espaço Kahal (Jundiaí)
mar 22@08:30

LEITURA OBRIGATÓRIA FUVEST 2019 – PREÇOS ESPECIAIS PARA ESCOLAS

NOVAMENTE EM JUNDIAÍ, A CIA REALCE APRESENTA SUA ADAPTAÇÃO DE “MEMÓRIAS PÓSTUMAS DE BRÁS CUBAS”, DESTA VEZ NO ESPAÇO KAHAL 

Leitura obrigatória no vestibular FUVEST 2019, essa é uma das peças mais aclamadas e famosas dentre as adaptações literárias. Há mais de 15 anos, “Memórias Póstumas de Brás Cubas” faz sucesso com a Cia. Realce pelos teatros de todo estado de São Paulo e em outros estados. De volta a Jundiaí, esse ano a Cia Realce apresentará sua adaptação da obra literária de Machado de Assis, desta vez no Espaço Kahal, localizado na Vila Arens. O Espaço conta com ar condicionado, local para desembarque de alunos na frente do espaço e som e luz de excelente qualidade.

A peça foi adaptada de maneira inteligente e fiel a obra literária, com toques de sarcasmos e humor. A apresentação prende a atenção do público do início ao fim, tornando clara passagens importantes do livro de Machado de Assis e todo o seu contexto. A peça é do mesmo grupo teatral e mesmo diretor de “Memórias de Um Sargento de Milícias”. Marco do romance realista no Brasil, trazendo em si um questionamento do realismo, a obra de Machado de Assis, “Memórias Póstumas de Brás Cubas”, serviu de inspiração para a construção do espetáculo.

Sobre a peça: É após sua morte que Brás Cubas decide narrar suas memórias. Nesta condição, nada pode suavizar seu ponto de vista irônico e mordaz sobre uma sociedade em que as instituições se baseiam na hipocrisia. . O casamento, o adultério, os

comportamentos individuais e sociais não escapam à sua visão implacável, nesta obra fundamental de Machado de Assis. “Memórias Póstumas de Brás Cubas” é o marco inicial do Realismo no Brasil. A Obra é inteligente e possui um humor fino, sutil, que é próprio de Machado de Assis.

No palco, a história começa com o nascimento, os mimos da família, os palpites dos tios sobre o futuro do personagem e as peraltices do menino Brás. Aos 17 anos, ele se envolve com Marcela, uma espanhola maliciosa e interesseira, que lhe dava amor em troca de presentes caríssimos. O romance faz com que o rapaz fique endividado e ele é mandado pelo pai para estudar em Coimbra, Portugal. Sua mãe morre, Brás Cubas volta ao Brasil desgostoso. Refugiado numa chácara da família, o pai vai buscá-lo com um projeto de casá-lo para assim conseguir um cargo de deputado, através do futuro sogro. O noivado arranjado dura pouco, pois ele perde a noiva para Lobo Neves. O pai frustrado falece em quatro meses, e a irmã e o cunhado de Brás Cubas mostram-se vorazes pela herança.
A história ganha outras cores a partir do reencontro com Quincas Borba, colega de colégio do protagonista, que também é filósofo e cômico, e quando revê Virgília, seu grande amor. Tudo é descrito pelo próprio Brás Cubas, que durante o espetáculo vai fazendo uma autocrítica de sua visão do mundo, no espírito machadiano: céptico e sarcástico.

O diretor: Ator, diretor e escritor, Rick Von Dentz já escreveu e dirigiu diversas peças que foram sucesso de público e crítica no circuito estudantil do estado. Além de “Memórias de um sargento de Milícias”, Rick é autor e diretor de outros sucessos como “Memórias póstumas de Brás Cubás”, “Dom Casmurro”, “As cidades e a Serra”, “O Primo Basílio” entre outras, além de ter escrito várias peças infantis.

Ficha Técnica:

  • Adaptação e direção: Rick Von Dentz
  • Figurinos: Nilton Araújo
  • Som e Luz: Renato Alves
  • Assistente de Direção: Augusto Valente
  • Produção geral: Iraci Batista
  • Assistente de produção: Marco Bueno
  • Duração: 80 minutos

Informações:

  • Data: 22/Março
  • Local: Espaço Kahal (Rua Emile Pilon, n° 234 – Vila Arens – Jundiaí)
  • Horários: 8h30 e 20h00
  • Valor do ingresso: Inteira: R$ 50,00 | Meia entrada: R$ 25,00 | PACOTE ESCOLAR: R$ 18,00 – somente para grupos a partir de 15 alunos e reserva antecipada com a produção  11 98603-7262 e 11 99868-1371

PINÓQUIO @Espaço Kahal
mar 22@10:00

PINÓQUIO, um dos maiores clássicos literários no palco do Polytheama. Recomendada para alunos do Ensino Infantil e Fundamental I.ará, no dia 11 de 

PINÓQUIO, um dos maiores clássicos literários, chega aos palcos de Jundiaí. Recomendada para alunos do Ensino Infantil e Fundamental I, a peça é baseada no conto original de Carlo Colodi. Pinóquio conta a história do boneco de madeira, esculpido pelo bondoso velho Gepeto, que ajudado por uma boa fada consegue dar vida e transformá-lo num menino de verdade. O menino boneco passa a viver grandes aventuras, e tal como a fada havia lhe prometido, seu nariz cresce quando ele mente. Ao se envolver em grandes enrascadas, acaba por mentir para o papai Gepeto e sofre nas mãos de um maldoso e explorador de crianças. No final, acaba perdoado pela fada, e após muitas peripécias, acaba por descobrir a importância de falar sempre a verdade.

A peça será apresentada no moderno Espaço Kahal, na Vila Arens, em Jundiaí. O Espaço conta com ar condicionado, local para desembarque de alunos na frente do espaço e som e luz de excelente qualidade.

 

PROPOSTA DE ENCENAÇÃO
Sem distorcer a história original, esta montagem trata as aventuras do menino Pinóquio de uma maneira divertida e inovadora. O vilão Raposão tenta enganar o pequeno Pinóquio e seus amigos com a ajuda do atrapalhado  Gatuso, mas acabam vencidos pela bondosa fada e o elétrico Grilo Falante.

Ficha técnica: 

  • Direção: Processo coletivo
  • Adaptação: : Iraci Batista e Eduardo Leoncio
  • Autoria: Carlos Colodi
  • Elenco: Rogério Oliveira, Diego Domingues, Alex Moreira, Paula Lobo.
  • Duração: 50 minutos
  • Recomendado para crianças a partir de 2 anos.

Informações:

  • Peça: PINOQUIO
  • Data: 22 de Março de 2018
  • Local: Espaço Kahal (Vila Arens – Jundiaí)
  • Horários: 10h00 e 14h30
  • Valor do ingresso: Inteira: R$ 40,00 | Meia entrada: R$ 20,00 | Pacote escolar: R$ 15,00
  • PACOTE ESCOLAR: R$ 15,00 – Somente reserva antecipada com a produção do evento. 

Endereço do Espaço Kahal: Rua Emile Pilon, n° 234, Vila Arens – Jundiaí-SP

Escolas, professores e alunos: Garantam já seus ingressos pelo valor promocional do pacote escolar, fazendo reserva antecipada com a produção. Ingressos limitados a disponibilidade do teatro.

PINÓQUIO @Espaço Kahal
mar 22@14:30

PINÓQUIO, um dos maiores clássicos literários no palco do Polytheama. Recomendada para alunos do Ensino Infantil e Fundamental I.ará, no dia 11 de 

PINÓQUIO, um dos maiores clássicos literários, chega aos palcos de Jundiaí. Recomendada para alunos do Ensino Infantil e Fundamental I, a peça é baseada no conto original de Carlo Colodi. Pinóquio conta a história do boneco de madeira, esculpido pelo bondoso velho Gepeto, que ajudado por uma boa fada consegue dar vida e transformá-lo num menino de verdade. O menino boneco passa a viver grandes aventuras, e tal como a fada havia lhe prometido, seu nariz cresce quando ele mente. Ao se envolver em grandes enrascadas, acaba por mentir para o papai Gepeto e sofre nas mãos de um maldoso e explorador de crianças. No final, acaba perdoado pela fada, e após muitas peripécias, acaba por descobrir a importância de falar sempre a verdade.

A peça será apresentada no moderno Espaço Kahal, na Vila Arens, em Jundiaí. O Espaço conta com ar condicionado, local para desembarque de alunos na frente do espaço e som e luz de excelente qualidade.

 

PROPOSTA DE ENCENAÇÃO
Sem distorcer a história original, esta montagem trata as aventuras do menino Pinóquio de uma maneira divertida e inovadora. O vilão Raposão tenta enganar o pequeno Pinóquio e seus amigos com a ajuda do atrapalhado  Gatuso, mas acabam vencidos pela bondosa fada e o elétrico Grilo Falante.

Ficha técnica: 

  • Direção: Processo coletivo
  • Adaptação: : Iraci Batista e Eduardo Leoncio
  • Autoria: Carlos Colodi
  • Elenco: Rogério Oliveira, Diego Domingues, Alex Moreira, Paula Lobo.
  • Duração: 50 minutos
  • Recomendado para crianças a partir de 2 anos.

Informações:

  • Peça: PINOQUIO
  • Data: 22 de Março de 2018
  • Local: Espaço Kahal (Vila Arens – Jundiaí)
  • Horários: 10h00 e 14h30
  • Valor do ingresso: Inteira: R$ 40,00 | Meia entrada: R$ 20,00 | Pacote escolar: R$ 15,00
  • PACOTE ESCOLAR: R$ 15,00 – Somente reserva antecipada com a produção do evento. 

Endereço do Espaço Kahal: Rua Emile Pilon, n° 234, Vila Arens – Jundiaí-SP

Escolas, professores e alunos: Garantam já seus ingressos pelo valor promocional do pacote escolar, fazendo reserva antecipada com a produção. Ingressos limitados a disponibilidade do teatro.

MEMÓRIAS PÓSTUMAS DE BRÁS CUBAS @Espaço Kahal (Jundiaí)
mar 22@20:00

LEITURA OBRIGATÓRIA FUVEST 2019 – PREÇOS ESPECIAIS PARA ESCOLAS

NOVAMENTE EM JUNDIAÍ, A CIA REALCE APRESENTA SUA ADAPTAÇÃO DE “MEMÓRIAS PÓSTUMAS DE BRÁS CUBAS”, DESTA VEZ NO ESPAÇO KAHAL 

Leitura obrigatória no vestibular FUVEST 2019, essa é uma das peças mais aclamadas e famosas dentre as adaptações literárias. Há mais de 15 anos, “Memórias Póstumas de Brás Cubas” faz sucesso com a Cia. Realce pelos teatros de todo estado de São Paulo e em outros estados. De volta a Jundiaí, esse ano a Cia Realce apresentará sua adaptação da obra literária de Machado de Assis, desta vez no Espaço Kahal, localizado na Vila Arens. O Espaço conta com ar condicionado, local para desembarque de alunos na frente do espaço e som e luz de excelente qualidade.

A peça foi adaptada de maneira inteligente e fiel a obra literária, com toques de sarcasmos e humor. A apresentação prende a atenção do público do início ao fim, tornando clara passagens importantes do livro de Machado de Assis e todo o seu contexto. A peça é do mesmo grupo teatral e mesmo diretor de “Memórias de Um Sargento de Milícias”. Marco do romance realista no Brasil, trazendo em si um questionamento do realismo, a obra de Machado de Assis, “Memórias Póstumas de Brás Cubas”, serviu de inspiração para a construção do espetáculo.

Sobre a peça: É após sua morte que Brás Cubas decide narrar suas memórias. Nesta condição, nada pode suavizar seu ponto de vista irônico e mordaz sobre uma sociedade em que as instituições se baseiam na hipocrisia. . O casamento, o adultério, os

comportamentos individuais e sociais não escapam à sua visão implacável, nesta obra fundamental de Machado de Assis. “Memórias Póstumas de Brás Cubas” é o marco inicial do Realismo no Brasil. A Obra é inteligente e possui um humor fino, sutil, que é próprio de Machado de Assis.

No palco, a história começa com o nascimento, os mimos da família, os palpites dos tios sobre o futuro do personagem e as peraltices do menino Brás. Aos 17 anos, ele se envolve com Marcela, uma espanhola maliciosa e interesseira, que lhe dava amor em troca de presentes caríssimos. O romance faz com que o rapaz fique endividado e ele é mandado pelo pai para estudar em Coimbra, Portugal. Sua mãe morre, Brás Cubas volta ao Brasil desgostoso. Refugiado numa chácara da família, o pai vai buscá-lo com um projeto de casá-lo para assim conseguir um cargo de deputado, através do futuro sogro. O noivado arranjado dura pouco, pois ele perde a noiva para Lobo Neves. O pai frustrado falece em quatro meses, e a irmã e o cunhado de Brás Cubas mostram-se vorazes pela herança.
A história ganha outras cores a partir do reencontro com Quincas Borba, colega de colégio do protagonista, que também é filósofo e cômico, e quando revê Virgília, seu grande amor. Tudo é descrito pelo próprio Brás Cubas, que durante o espetáculo vai fazendo uma autocrítica de sua visão do mundo, no espírito machadiano: céptico e sarcástico.

O diretor: Ator, diretor e escritor, Rick Von Dentz já escreveu e dirigiu diversas peças que foram sucesso de público e crítica no circuito estudantil do estado. Além de “Memórias de um sargento de Milícias”, Rick é autor e diretor de outros sucessos como “Memórias póstumas de Brás Cubás”, “Dom Casmurro”, “As cidades e a Serra”, “O Primo Basílio” entre outras, além de ter escrito várias peças infantis.

Ficha Técnica:

  • Adaptação e direção: Rick Von Dentz
  • Figurinos: Nilton Araújo
  • Som e Luz: Renato Alves
  • Assistente de Direção: Augusto Valente
  • Produção geral: Iraci Batista
  • Assistente de produção: Marco Bueno
  • Duração: 80 minutos

Informações:

  • Data: 22/Março
  • Local: Espaço Kahal (Rua Emile Pilon, n° 234 – Vila Arens – Jundiaí)
  • Horários: 8h30 e 20h00
  • Valor do ingresso: Inteira: R$ 50,00 | Meia entrada: R$ 25,00 | PACOTE ESCOLAR: R$ 18,00 – somente para grupos a partir de 15 alunos e reserva antecipada com a produção  11 98603-7262 e 11 99868-1371

 

 

abr
11
qua
O CORTIÇO @Teatro Polytheama
abr 11@09:30

 

G4 Jundiaí  Cultura e Eventos e “Grupo Trapiche” apresentam O CORTIÇO, no Teatro Polytheama em Jundiaí. A adaptação do livro de Aluísio Azevedo para o teatro transformou-se numa deliciosa comédia. Oito atores, revezam-se para dar vida a 18 personagens. Leitura obrigatória em importantes vestibulares como FUVEST  2019, o livro foi adaptado pelo grupo Trapiche de Teatro, fazendo sucesso há anos nos teatros do Estado. Vale lembrar que o grupo é o mesmo de outras peças de sucesso como “Capitães da Areia”,”O Menino Maluquinho”, “O Auto da Barca do Inferno” e “Uma Professora Muito Maluquinha”.
Sobre a peça: Trata-se de reações e emoções de pessoas que povoam um CORTIÇO, conglomerados nessa comunidade coletiva com suas diversas origens, mas iguais na miséria, promiscuidade, ambição, preconceito, ignorância, onde dinheiro e sexo desenrolam a história. O desfecho trágico traz a questão do preconceito racial mostrando a fase da libertação dos escravos.

ATOR JUNDIAIENSE NO PALCO: Assumindo papel de grande destaque na peça “O Cortiço”, está o ator Jundiaiense Willians Quirino. Will tem atuado em várias outras peças do Grupo Trapiche e já esteve nos palcos do Polytheama atuando na peça “Til”, “O Auto da Barca do Inferno” e “Sonho de Uma noite de verão”.

Ficha técnica:
– Autor: Aluísio Azevedo
– Adaptação: Valmir Budoia e Vania Bastian

e direção: Renato Mano
– Elenco: Glauber Leme, Will QUIRINO, Viviane Zanelli, Marcos Meira, Helcio Vidal,  Debora Santos e Tatiana Santos.

 

Informações:

  • Duração: 1h15m
  • Censura: 12 anos
  • Valor do ingresso:  Inteira: R$ 50,00 | Meia entrada: R$ 25,00 | PACOTE ESCOLAR: R$ 18,00 – somente para grupos a partir de 15 alunos e reserva antecipada com a produção  11 98603-7262 e 11 99868-1371
  • Data: 1​1/04/2018
  • Horários: 9h30 e 20h00
  • Local: Teatro Polytheama (Jundiaí-S.P.)

Escolas, professores e alunos: Garantam já seus ingressos pelo valor promocional do pacote escolar, fazendo reserva antecipada com a produção. Ingressos limitados a disponibilidade do teatro.

AS AVENTURAS DE PETER PAN @Teatro Polytheama
abr 11@14:30

 G4 Jundiaí Cultura e Eventos traz através do Projeto Escola no Teatro Polytheama, o famoso clássico literário Peter Pan, o
menino que não queria crescer. Peter Pan vai visitar Wend e seus irmãos acompanhado da Fada Sininho. Depois eles voam para a Terra do

Nunca, um lugar onde tudo deveria ser lindo para qualquer criança, não fosse a presença do temível Capitão Gancho e seu bando de piratas. Outros bons habitantes da terra como, a princesa Raio de Sol, crocodilos, sereias e pássaros levam as crianças a viver boas aventuras. Capitão Gancho com seu atrapalhado companheiro o Barrica, vive com medo do crocodilo, mas quer a todo custo dominar o lugar de Peter Pan, porem a coragem e esperteza do menino, acabam por vencer o vilão. A peça é do Grupo Trapiche, mesma cia Teatral das peças “O Auto da Barca do Inferno”, “Uma professora maluquinha”, “O menino maluquinho”, “O Cortiço” e “Capitães da Areia”.

 

Ficha Técnica:

  • Adaptação: Iraci Batista
  • Direção: Renato Mano
  • Duração: 60 minutos
  • Censura: Livre

 

Informações:

  • Data: 1​2/04/2018
  • Horário: 14h30
  • Local: Teatro Polytheama
  • Valor do ingresso: Inteira: R$ 40,00 | Meia entrada: R$ 20,00 | PACOTE ESCOLAR: R$ 15,00 – somente para grupos a partir de 15 alunos e reserva antecipada com a produção  11 98603-7262 e 11 99868-1371
  • Escolas, professores e alunos: Garantam já seus ingressos pelo valor promocional do pacote escolar, fazendo reserva antecipada com a produção. Ingressos limitados a disponibilidade do teatro.
O CORTIÇO @Teatro Polytheama
abr 11@20:00

 

G4 Jundiaí  Cultura e Eventos e “Grupo Trapiche” apresentam O CORTIÇO, no Teatro Polytheama em Jundiaí. A adaptação do livro de Aluísio Azevedo para o teatro transformou-se numa deliciosa comédia. Oito atores, revezam-se para dar vida a 18 personagens. Leitura obrigatória em importantes vestibulares como FUVEST  2019, o livro foi adaptado pelo grupo Trapiche de Teatro, fazendo sucesso há anos nos teatros do Estado. Vale lembrar que o grupo é o mesmo de outras peças de sucesso como “Capitães da Areia”,”O Menino Maluquinho”, “O Auto da Barca do Inferno” e “Uma Professora Muito Maluquinha”.
Sobre a peça: Trata-se de reações e emoções de pessoas que povoam um CORTIÇO, conglomerados nessa comunidade coletiva com suas diversas origens, mas iguais na miséria, promiscuidade, ambição, preconceito, ignorância, onde dinheiro e sexo desenrolam a história. O desfecho trágico traz a questão do preconceito racial mostrando a fase da libertação dos escravos.

ATOR JUNDIAIENSE NO PALCO: Assumindo papel de grande destaque na peça “O Cortiço”, está o ator Jundiaiense Willians Quirino. Will tem atuado em várias outras peças do Grupo Trapiche e já esteve nos palcos do Polytheama atuando na peça “Til”, “O Auto da Barca do Inferno” e “Sonho de Uma noite de verão”.

Ficha técnica:

  • Autor: Aluísio Azevedo
  • Adaptação: Valmir Budoia e Vania Bastian
  • Direção: Renato Mano
  • Duração: 1h15m
  • Censura: 12 anos

Informações:

  • Data: 1​1/04/2018
  • Horários: 9h30 e 20h00
  • Local: Teatro Polytheama (Jundiaí-S.P.)
  • Valor do ingresso: Inteira: R$ 50,00 | Meia entrada: R$ 25,00 | PACOTE ESCOLAR: R$ 18,00 – somente para grupos a partir de 15 alunos e reserva antecipada com a produção  11 98603-7262 e 11 99868-1371

Escolas, professores e alunos: Garantam já seus ingressos pelo valor promocional do pacote escolar, fazendo reserva antecipada com a produção. Ingressos limitados a disponibilidade do teatro.

Comments are closed.