Calendar

mar
20
qua
Sagarana @Teatro Polytheama
mar 20@09:30 – 10:30

Livro Sagarana é leitura FUVEST 2020

SAGARANA – “SARAPALHA” e “CORPO FECHADO”

Dia 20/Março – 9h30 e 20h00 – Teatro Polytheama

A peça da Cia Realce apresenta dois contos:  “Sarapalha” e “Corpo Fechado”.

Iniciando as apresentações do Projeto Escola 2019, apresentaremos a peça SAGARANA (com os contos Sarapalha e Corpo Fechado), adaptada do livro de Guimarães Rosa. O livro faz parte da relação de obras a serem lidas para o vestibular FUVEST 2020. O espetáculo é produzido pela Cia Realce de São Paulo, responsável por diversas outras adaptações famosas como Vidas Secas e Memorias Póstumas de Brás Cubas. Na direção o experiente Rick Von Dentz, que dirigiu também Memórias Póstumas de Brás Cubas e Memórias de Um Sargento de Milícias.

O Espetáculo: Pelas inovações operadas na linguagem, Guimarães Rosa se impôs como um verdadeiro marco na evolução de nossa literatura. Dentre muitos outros contos que compõem a obra Sagarana, esta montagem retrata dois deles: “Sarapalha” e “Corpo Fechado”. O primeiro fala sobre dois homens a beira da morte, vitimados pela malária e que revelam o amor pela mesma mulher. Já no segundo, são divertidos causos contados por dois amigos em um bar.

Obs: Após o espetáculo haverá um debate sobre a obra

Ficha Técnica:
– Direção: Rick Von Dentz
– Produção: Cia Realce
– Elenco: Alex Moreira e Ronaldo Liano
– Duração: 60 minutos
– Faixa etária recomendada: a partir de 12 anos

 

  • Local:  Teatro Polytheama
  • Data: 20/03/2019
  • Horários: 9h30 e 20h00
  • Valores: R$ 50,00 (inteira) / R$ 25,00 (meia entrada) / R$ 18,00 (pacote escolar)
  • Informações e reservas: R$ 11 98603-7262 (tim/whatsapp) e 11 99868-1371 (vivo)
  • Localização do Teatro:

João e Maria @Teatro Polytheama
mar 20@14:30 – 15:30
joaoemaria-01

Adaptação realizada pela Cia Realce da tradicional história baseada na versão dos Irmãos Grimm.

Dia 20/março – 14h30 – Teatro Polytheama

HUMOR E AVENTURA PARA CRIANÇAS A PARTIR DE 02 ANOS! 

Peça tem destaca a importância da solidariedade, coragem e força das crianças, para derrotar o mal.

Sobre a peça: Esta montagem segue a tradicional história baseada na versão dos Irmãos Grimm. Dois irmãos chamados João e Maria são abandonados na floresta, por insistência da malvada madrasta, que convence o pai das crianças a fazer tal maldade por meio de mentiras e chantagens, incluindo a fome que as crianças estão enfrentando. Na floresta, eles são atraídos por uma casinha toda feita de doces, que nada mais é do que uma armadilha de uma bruxa malvada que vive capturando crianças. João acaba preso numa gaiola e eles vivem então grandes apuros e muitas divertidas aventuras. Graças a esperteza e astúcia de Maria, eles acabam por vencer a grande vilã. João e Maria contam com a ajuda de um divertido e misterioso bicho enfeitiçado pela bruxa, cujo nome é Timóteo Von Gulio.

Sobre a adaptação:  A concepção do espetáculo foi feita a partir da objetividade em se manter a história tal como ela é conhecida mundialmente, acrescentando no entanto ingredientes de muito humor, sem distorcer a caracterização de suas personagens. Através das figuras das crianças (João e Maria), a preocupação foi de buscar uma identificação com o universo de toda criança que brinca, ri, chora, com curiosidade e espírito de aventura, somados ao bom desfecho deste texto original, que mostra com grande destaque a solidariedade, coragem e força para derrotar o mal.

Ficha Técnica

– Direção: Augusto Valente
– Produção: Iraci Batista e Marco Bueno
– Elenco: Andrea Leitte, Augusto Valente, Diego Domingues e Jéssica Landim
– Faixa Etária indicativa: a partir de 02 anos
– Duração: 55 minutos

 

  • Local:  Teatro Polytheama
  • Data: 20/03/2019
  • Horários: 14h30
  • Valores: R$ 40,00 (inteira) / R$ 20,00 (meia entrada) / R$ 15,00 (pacote escolar)
  • Informações e reservas: R$ 11 98603-7262 (tim/whatsapp) e 11 99868-1371 (vivo)
  • Localização do teatro:

 

Sagarana @Teatro Polytheama
mar 20@20:00 – 21:00

Livro Sagarana é leitura FUVEST 2020

SAGARANA – “SARAPALHA” e “CORPO FECHADO”

Dia 20/Março – 9h30 e 20h00 – Teatro Polytheama

A peça da Cia Realce apresenta dois contos:  “Sarapalha” e “Corpo Fechado”.

Iniciando as apresentações do Projeto Escola 2019, apresentaremos a peça SAGARANA (com os contos Sarapalha e Corpo Fechado), adaptada do livro de Guimarães Rosa. O livro faz parte da relação de obras a serem lidas para o vestibular FUVEST 2020. O espetáculo é produzido pela Cia Realce de São Paulo, responsável por diversas outras adaptações famosas como Vidas Secas e Memorias Póstumas de Brás Cubas. Na direção o experiente Rick Von Dentz, que dirigiu também Memórias Póstumas de Brás Cubas e Memórias de Um Sargento de Milícias.

O Espetáculo: Pelas inovações operadas na linguagem, Guimarães Rosa se impôs como um verdadeiro marco na evolução de nossa literatura. Dentre muitos outros contos que compõem a obra Sagarana, esta montagem retrata dois deles: “Sarapalha” e “Corpo Fechado”. O primeiro fala sobre dois homens a beira da morte, vitimados pela malária e que revelam o amor pela mesma mulher. Já no segundo, são divertidos causos contados por dois amigos em um bar.

Obs: Após o espetáculo haverá um debate sobre a obra

Ficha Técnica:
– Direção: Rick Von Dentz
– Produção: Cia Realce
– Elenco: Alex Moreira e Ronaldo Liano
– Duração: 60 minutos
– Faixa etária recomendada: a partir de 12 anos

 

  • Local:  Teatro Polytheama
  • Data: 20/03/2019
  • Horários: 9h30 e 20h00
  • Valores: R$ 50,00 (inteira) / R$ 25,00 (meia entrada) / R$ 18,00 (pacote escolar)
  • Informações e reservas: R$ 11 98603-7262 (tim/whatsapp) e 11 99868-1371 (vivo)
  • Localização do Teatro:

abr
10
qua
A Relíquia @Teatro Polytheama
abr 10@09:30 – 10:45

O livro A Relíquia é leitura FUVEST 2020

Rick Von Dentz, mesmo diretor de Memórias Póstumas de Brás Cubas e Dom Casmurro, adaptou para os palcos do teatro mais um grande clássico literário:  “A Relíquia”. Eça de Queiroz certamente é uma tendência em grandes vestibulares, sendo o autor um dos grandes escritores do realismo da literatura portuguesa. Grande questionador dos valores provincianos e imperiais da Lisboa imperialista.

Sobre a peça: A trama se desenvolve ao redor do conflito latente entre duas personalidades. A primeira, a poderosa Dona Maria do Patrocínio, também chamada Dona Patrocínio das Neves, Tia Patrocínio ou simplesmente Titi. Excessiva na riqueza e na entrega aos ritos religiosos, chega a ser, nas linhas de Eça de Queiroz, uma caricatura das devotas católicas das coisas da igreja. Do outro lado, seu sobrinho Teodorico Raposo, o Raposão, narrador de suas próprias aventuras,órfão logo cedo, entregue aos cuidados da tia, em Lisboa.

Release: Teodorico Raposo é o narrador, que se apresenta ao leitor explicando o desejo de explicar suas memórias, mostrando a vida nua e crua de um Português do século 19. Teodorico tem múltiplas facetas, tendo um lado devasso que é o lado contemporâneo do português do seculo 19 e o lado beato. Neto de um padre, perde a mãe muito cedo e é criado pelo pai. Logo morre o pai e Teodoro aos 7 anos é criado por  dona Patrocínio da Neves, tia Titi. Dona Patrocínio é uma mulher muito rica, severa e beata e doa grande parte de seu dinheiro para a igreja. Teodorico se deslumbra com o oratório maravilhoso de Tia Titi  e percebe rapidamente que tem que obedecer as regras religiosas da tia Titi. Aos 9 anos Teodorico vai para o internato e conhece Crispim, personagem importante na obra que será grande amigo de Teodorico. Quando adulto seu caráter é modelado tendo duas facetas: igreja e festas. Vai para Coimbra estudar direito mesclando estudo e muita farra.Teodorico pouco estuda e acaba se tornando um blefador da lei. Nas férias volta para agradar a tia Titi, sendo um servo de sua tia já de olho na herança. É quando conhece Adélia, seu grande amor. Tia Titi não pode saber, pois sua ideia para Teodoro é que ele viva como beato, sendo exclusivamente um servo de Deus. Ao voltar definitivamente a Lisboa, Teodoro percebe que será necessário ter um comportamento moral radicalizado, pois visando a herança de sua tia ele tem que ir a igreja frequentemente, rezar, ter um suposto comportamento se tornando um grande beato. Com toda dedicação a Deus, Adélia se cansa e termina com Teodorico. Ao se sentir extremamente desiludido e infeliz,  sua tia Titi o convence a ir a Palestina, a Terra Santa. Antes de ir ele promete trazer a tia uma Relíquia (o que remete ao título da obra). Em Alexandria se apaixona por uma inglesa Mary e tem um caso ardente com ela. Mary deixa um presente pra ele como lembrança. Ao seguir a terra Santa não gosta do local achando o local tedioso.

Ficha Técnica:

– Autoria: Eça de Queiroz
– Adaptação e direção: Rick Von Dentz
– Elenco: Du Kamargo, Jéssica Landin e Alex Moreira
– Duração: 70 minutos
– Classificação etária indicativa: a partir de 13 anos

 

  • Local:  Teatro Polytheama
  • Data: 10/04/2019
  • Horários: 9h30 e 20h00
  • Valores: R$ 50,00 (inteira) / R$ 25,00 (meia entrada) / R$ 18,00 (pacote escolar)
  • Informações e reservas: R$ 11 98603-7262 (tim/whatsapp) e 11 99868-1371 (vivo)
  • Localização do Teatro:

 

 

A Relíquia @Teatro Polytheama
abr 10@20:00 – 21:15

O livro A Relíquia é leitura FUVEST 2020

Rick Von Dentz, mesmo diretor de Memórias Póstumas de Brás Cubas e Dom Casmurro, adaptou para os palcos do teatro mais um grande clássico literário:  “A Relíquia”. Eça de Queiroz certamente é uma tendência em grandes vestibulares, sendo o autor um dos grandes escritores do realismo da literatura portuguesa. Grande questionador dos valores provincianos e imperiais da Lisboa imperialista.

Sobre a peça:   Encenada com toques de humor, a trama se desenvolve ao redor do conflito latente entre duas personalidades . A primeira, a poderosa Dona Maria do Patrocínio, também chamada Dona Patrocínio das Neves, Tia Patrocínio ou simplesmente Titi. Excessiva na riqueza e na entrega aos ritos religiosos, chega a ser, nas linhas de Eça de Queiroz, uma caricatura das devotas católicas das coisas da igreja. Do outro lado, seu sobrinho Teodorico Raposo, o Raposão, narrador de suas próprias aventuras,órfão logo cedo, entregue aos cuidados da tia, em Lisboa.

Release: Teodorico Raposo é o narrador, que se apresenta ao leitor explicando o desejo de explicar suas memórias, mostrando a vida nua e crua de um Português do século 19. Teodorico tem múltiplas facetas, tendo um lado devasso que é o lado contemporâneo do português do seculo 19 e o lado beato. Neto de um padre, perde a mãe muito cedo e é criado pelo pai. Logo morre o pai e Teodoro aos 7 anos é criado por  dona Patrocínio da Neves, tia Titi. Dona Patrocínio é uma mulher muito rica, severa e beata e doa grande parte de seu dinheiro para a igreja. Teodorico se deslumbra com o oratório maravilhoso de Tia Titi  e percebe rapidamente que tem que obedecer as regras religiosas da tia Titi. Aos 9 anos Teodorico vai para o internato e conhece Crispim, personagem importante na obra que será grande amigo de Teodorico. Quando adulto seu caráter é modelado tendo duas facetas: igreja e festas. Vai para Coimbra estudar direito mesclando estudo e muita farra.Teodorico pouco estuda e acaba se tornando um blefador da lei. Nas férias volta para agradar a tia Titi, sendo um servo de sua tia já de olho na herança. É quando conhece Adélia, seu grande amor. Tia Titi não pode saber, pois sua ideia para Teodoro é que ele viva como beato, sendo exclusivamente um servo de Deus. Ao voltar definitivamente a Lisboa, Teodoro percebe que será necessário ter um comportamento moral radicalizado, pois visando a herança de sua tia ele tem que ir a igreja frequentemente, rezar, ter um suposto comportamento se tornando um grande beato. Com toda dedicação a Deus, Adélia se cansa e termina com Teodorico. Ao se sentir extremamente desiludido e infeliz,  sua tia Titi o convence a ir a Palestina, a Terra Santa. Antes de ir ele promete trazer a tia uma Relíquia (o que remete ao título da obra). Em Alexandria se apaixona por uma inglesa Mary e tem um caso ardente com ela. Mary deixa um presente pra ele como lembrança. Ao seguir a terra Santa não gosta do local achando o local tedioso.

Ficha Técnica:

– Autoria: Eça de Queiroz
– Adaptação e direção: Rick Von Dentz
– Elenco: Du Kamargo, Jéssica Landin e Alex Moreira
– Duração: 70 minutos
– Classificação etária indicativa: a partir de 13 anos

 

  • Local:  Teatro Polytheama
  • Data: 10/04/2019
  • Horários: 9h30 e 20h00
  • Valores: R$ 50,00 (inteira) / R$ 25,00 (meia entrada) / R$ 18,00 (pacote escolar)
  • Informações e reservas: R$ 11 98603-7262 (tim/whatsapp) e 11 99868-1371 (vivo)
  • Localização do Teatro:

 

 

abr
17
qua
Alice no País das Maravilhas @Teatro Polytheama
abr 17@09:30 – 10:30

Alice no País das Maravilhas

Dia 17/Abril – 9h30 e 14h30 – Teatro Polytheama

 

Inspirado no livro homônimo do inglês Lewis Carroll, o espetáculo “Alice no País das Maravilhas” é o um dos grandes clássicos desenvolvidos pela CIA CAMBAIO tanto pela sua qualidade, quanto sua proposta de entreter o público, das crianças até os adultos.

Numa montagem dinâmica com recursos lúdicos e interativos e deslumbrantes figurinos, a criançada percorre um universo nonsense bastante conhecido mundialmente: a obra de 1865 foi traduzida em mais de 125 línguas e somente na inglesa ganhou mais de cem edições.

O espetáculo conta a história de Alice, uma menina muito curiosa, que senta-se ao pé de uma árvore com sua irmã Ruth para ouvi-la contar histórias, quando percebe um coelho branco

correr apressado como quem tem um compromisso urgente, o segue e acaba caindo em um misterioso túnel. O caminho secreto a conduz ao desconhecido País das Maravilhas, um lugar mágico onde a menina se perde entre personagens estranhos como o Chapeleiro Maluco, A Lagarta Desatenta, o Gato Risonho, a intempestiva Rainha de Copas, a Lebre de Março, O Caxinguelê, a Tartaruga e o Rei.

Utilizando o que a CIA CAMBAIO tem de melhor, de adereços até uma lagarta gigante manipulada por três atores, conseguimos conquistar o mundo de fantasias que Lewis Carroll imaginou.

Ficha técnica:

Texto: Lewis Carrol

Adaptação e Direção: CIA CAMBAIO

Trilha Sonora: Daniel Lellis Siqueira

Figurinos e confecção: Rosemeire Siqueira

Com: Mônica Bonna, Du Kamargo, Mateus Menezes e Priscila Galan.

Classificação: Livre

Faixa Etária indicativa: a partir de 03 anos

 

  • Local:  Teatro Polytheama
  • Data: 17/04/2019
  • Horários: 9h30 e 14h30
  • Valores: R$ 40,00 (inteira) / R$ 20,00 (meia entrada) / R$ 15,00 (pacote escolar)
  • Informações e reservas: R$ 11 98603-7262 (tim/whatsapp) e 11 99868-1371 (vivo)
  • Localização do teatro:

 

Apresentação 2018: 

 

Visualizar esta foto no Instagram.

 

Uma publicação compartilhada por Projeto Teatro (@projetoteatrocultura) em

Teaser da peça: 

 

 

Alice no País das Maravilhas @Teatro Polytheama
abr 17@14:30 – 15:30

Alice no País das Maravilhas

Dia 17/Abril – 9h30 e 14h30 – Teatro Polytheama

 

Inspirado no livro homônimo do inglês Lewis Carroll, o espetáculo “Alice no País das Maravilhas” é o um dos grandes clássicos desenvolvidos pela CIA CAMBAIO tanto pela sua qualidade, quanto sua proposta de entreter o público, das crianças até os adultos.

Numa montagem dinâmica com recursos lúdicos e interativos e deslumbrantes figurinos, a criançada percorre um universo nonsense bastante conhecido mundialmente: a obra de 1865 foi traduzida em mais de 125 línguas e somente na inglesa ganhou mais de cem edições.

O espetáculo conta a história de Alice, uma menina muito curiosa, que senta-se ao pé de uma árvore com sua irmã Ruth para ouvi-la contar histórias, quando percebe um coelho branco

correr apressado como quem tem um compromisso urgente, o segue e acaba caindo em um misterioso túnel. O caminho secreto a conduz ao desconhecido País das Maravilhas, um lugar mágico onde a menina se perde entre personagens estranhos como o Chapeleiro Maluco, A Lagarta Desatenta, o Gato Risonho, a intempestiva Rainha de Copas, a Lebre de Março, O Caxinguelê, a Tartaruga e o Rei.

Utilizando o que a CIA CAMBAIO tem de melhor, de adereços até uma lagarta gigante manipulada por três atores, conseguimos conquistar o mundo de fantasias que Lewis Carroll imaginou.

Ficha técnica:

Texto: Lewis Carrol

Adaptação e Direção: CIA CAMBAIO

Trilha Sonora: Daniel Lellis Siqueira

Figurinos e confecção: Rosemeire Siqueira

Com: Mônica Bonna, Du Kamargo, Mateus Menezes e Priscila Galan.

Classificação: Livre

Faixa Etária indicativa: a partir de 03 anos

 

  • Local:  Teatro Polytheama
  • Data: 17/04/2019
  • Horários: 9h30 e 14h30
  • Valores: R$ 40,00 (inteira) / R$ 20,00 (meia entrada) / R$ 15,00 (pacote escolar)
  • Informações e reservas: R$ 11 98603-7262 (tim/whatsapp) e 11 99868-1371 (vivo)
  • Localização do teatro:

 

Apresentação 2018: 

 

Visualizar esta foto no Instagram.

 

Uma publicação compartilhada por Projeto Teatro (@projetoteatrocultura) em

Teaser da peça: 

 

 

Comments are closed.